5 artistas indicam 5 novos sons pra você conhecer [7ª edição]

Como acompanhar todos os lançamentos e novos artistas que surgem no cenário musical brasileiro? Vivemos um momento especial, em que descobre-se diariamente talentos diversos vindos de diversas regiões do Brasil: cantores, cantoras, compositoras e compositores, bandas, trios, duos, grupos instrumentais ou com mais de um vocalista, liderados por um ou democráticos sem líder. Há de tudo e há liberdade acima de tudo.

A série Tá Ouvindo o Que? convidou 5 artistas - quem melhor do que eles para esta tarefa? - para indicar os sons que andam chamando sua atenção. As respostas trouxeram novos sons – alguns novíssimos sons.

Confira as escolhas de Blubell, Iara Rennó, Mauricio Pereira, Pedro (Mustache & Os Apaches) e Tatá Aeroplano

1. Blubell indica... RHAÍSSA BITTAR

"Estou ouvindo seu segundo disco ela, "Matéria Estelar", no repeat. É um disco conceitual. Todas as músicas, em sua maioria compostas por Daniel Galli, são histórias de objetos inanimados (uma lista telefônica, uma pêra, palitos de fósforo e até uma pedra). São canções lindas, muito bem arranjadas, cobertas com a voz cremosa da Rhaíssa. Alta gastronomia musical... A preferida é "A Lista", com arranjo lindo à la big band do Nailor Proveta e "Palitoterapia" com participações de quatro "paulos" - Paulo Padilha, Paulinho Moska, Paulo Tatit e Paulinho Boca de Cantor - encarnando os palitos. Ah! E tem show de lançamento do disco no dia 18/09 no Sesc Belenzinho!"

Para conhecer melhor Rhaissa Bittar, clique aqui.

2. Iara Rennó indica... NEGRO LEO

"Filosoficamente falando, diante dessa riquíssima produção na música brasileira hoje, interessante a gente pensar nos limites do 'novo'. Tem gente que já está aí há décadas e continua sendo novidade, porque ainda não chegou aos ouvidos do grande público, porque insiste em se renovar e sempre aparece com um 'som novo'. Esse é o caso, por exemplo, de minha mãe, Alzira E, que está inaugurando um projeto novíssimo, o Corte (sem disco ainda mas com temporada de shows em setembro no Puxadinho da Praça - procurem saber!).

Mas vou falar de um cara que conheci há cerca de 5 anos. Na época ele tinha um disco lançado só na web [de 2012]. Aliás, ele ainda não tem nenhum disco físico, e por essas e outras é um artista ainda bastante desconhecido do público - embora no meio musical cada vez mais gente o conheça e vá ficando clara a sua dimensão. Negro Leo é grande, porque é um compositor absurdo, que bole na canção provocando desafios em intervalos melódicos, brincando com vocabulário inusual; porque tem uma voz linda, porque no palco é eletrizante, porque é político, porque é prolífico, e por tudo o mais. Leo me pegou primeiro pela sua estranheza, mas também pode ser muito doce e melódico, sem deixar de trazer frescor a canção.

Seja sozinho com um violão, seja com uns malucos tocando ruídos, seja com uma banda numa intrumentação mais 'tradicional', o que singulariza Negro Leo é mesmo seu estilo de compor e sua voz, que são marcantes, além de sua produção acelerada e incansável. Preferidas? Tenho várias. Mas a que está ecoando aqui ultimamente é Mar ao Fundo, parceria com Ava Rocha, no disco Ava Patrya Yndia Yracema, que é simples, complexa e linda de chorar."

Para conhecer melhor Negro Leo, clique aqui.

3. Mauricio Pereira indica... LUIZA LIAN

"Nesses últimos 10 anos, tem umas duas dúzias de artistas que me chamaram a atenção pela força do trabalho, e ouvir esses caras todos me deu muito tesão pra seguir com o meu trabalho. Mas esse povo já tá indo pros seus respectivos terceiros discos, já não são mais novatos, né? Então, entre os novinhos em folha, um trabalho que me chamou a atenção foi esse disco de estréia da Luiza Lian. Achei o repertório saboroso, interessante, é doce e é agressivo; o jeito de cantar e trazer as letras eu gostei muito. É bem pessoal, e eu acho isso uma coisa importante; a pegada é bonita e tem time classudo de moleques muito bons por trás desses arranjos (é um timão mesmo).

Fora isso, tem um negócio que eu - que sou um tipo que funciona na solidão - sempre admiro muito quando vejo: essa vocação que os artistas mais novos tem pra trabalhar coletivamente. No caso deles, nesse coletivo de artistas e produtores que é o selo Risco. Trabalhar a música e ao mesmo tempo o que tá em volta dela me parece um pensamento importante pra fazer um trabalho musical sobreviver nessa época de excesso de informação que a gente tá vivendo. Eu gosto muito da canção que abre o disco: "Chororô". Abre alas e pede passagem, dá uma boa escovada na alma, tipo, "saravá as criança…"

Para conhecer melhor a Luiza Lian, clique aqui.

4. Pedro Pastoriz (Mustache & Os Apaches) indica... MURILO SÁ & O GRANDE ELENCO

"Não são poucos, mas o primeiro que me veio à cabeça é o Murilo Sá & o Grande Elenco. É um som que já sugere uma familiaridade de cara, talvez pelas referências bem populares. E não precisa fuçar muito no disco pra achar boas letras, imagens bem costuradas. Ao vivo é uma baita banda, os caras mandam muito bem. Minha preferida é a faixa título do disco dele, "Sentido Centro" volta e meia está tocando na minha cabeça".

Para conhecer melhor Murilo Sá & Grande Elenco, clique aqui.

5. Tatá Aeroplano indica... MICHEL NATH

"Um dos artistas que mais me chamou atenção foi o Michel, que lançou esse ano o álbum Solarsoul. Somos amigos há muitos anos e ele é uma pessoa muito importante na minha trajetória; um cara que, além de música, sempre foi guia na horas mais importantes. Há uns anos atrás fui visitá-lo e ele tinha todas as letras do Solarsoul na parede de seu quarto, tudo muito conectado até o disco sair. Recentemente pude ver um show e achei lindo e muito verdadeiro.

O que me atrai no som do Solarsoul são as mensagens, as letras, as histórias que o Michel conta com esse álbum. É um trabalho artístico conceitual, feito com muita verdade, por isso, independente de sermos amigos ha mili anos, digo que é um dos sons que mais mexeu comigo nos últimos tempos! Adoro a canção "Guerreiro de Luz", acho uma das mais interessantes, a melodia dela é uma coisa que vai além e sempre trago comigo, na vida vivida e na vida sonhada..."

***

+ Confira as outras edições da série “Tá Ouvindo o Que?”

1ª edição – as indicações de Pitanga em Pé de Amora, Letuce, Trupe Chá de Boldo, Bruno Morais, Móveis Coloniais de Acaju, Cacá Machado, Fabio Góes, Gabriel Mayall (Do Amor), Eduardo Valiente (Amplexos) e Selton.

2ª edição - as indicações de A Banda Mais Bonita da Cidade, Gustavo da Lua (Nação Zumbi), Katia B, Wado, Paulo Carvalho, Rael, Alexia Bomtempo, Jair Naves, Bruno Souto e Andreia Dias

3ª edição - as indicações de Lia Paris, João Rossetto, Mara Nascimento, Jussara Silveira e Márcio Lugó.

4ª edição – as indicações de Maurício Fleury (Bixiga70), Luiz Thunderbird (Tarântulas e Tarantinos), Miro de Melo (365) e Victor Nader (Optic Yellow Felt).

5ª edição - as indicações de China, Di Melo, Ellen Oléria, Felipe Cordeiro, Nuno Mindelis, Tita Lima e Victor Rice.

6ª edição - as indicações de Saulo Duarte, Ian Ramil, Meno del Picchia, Marcia Castro e Missionário José.

arte | belisa bagiani
Quem escreveu
Eduardo Lemos

Jornalista, é sócio da Navegar Comunicação e Cultura, agência que atende clientes como Os Paralamas do Sucesso, Mostra Cantautores, Luiz Gabriel Lopes e Cao Laru. É idealizador do festival Navegar Noites Musicais, cuja primeira edição aconteceu em 2017, em Paraty, e do projeto Nick Drake: Lua Rosa, em homenagem ao músico inglês.

Comentários
Postagens relacionadas

24/09/2018 Entrevistas

FALA-SE DE MÚSICA | Luedji Luna

14/09/2018 Entrevistas

FALA-SE DE MÚSICA | Rubel

20/08/2018 Entrevistas

PLAYLIST | Thathi

Shows relacionados
POPLOAD FESTIVAL 2018
15/11/2018 - 11:00 hs
Memorial da América Latina
R$180 a
R$750
comprar
POPLOAD FESTIVAL 2018
BARBATUQUES
06/10/2018 - 12:00 hs
até 27/10/2018 - 12:00 hs
SESC Belenzinho
BARBATUQUES
Z FESTIVAL 2018
14/10/2018 - 14:00 hs
Allianz Parque
R$110 a
R$600
comprar
Z FESTIVAL 2018
JOÃO BOSCO
12/10/2018 - 18:00 hs
até 14/10/2018 - 18:00 hs
SESC 24 de Maio
JOÃO BOSCO