Azoofa Indica: Rhaissa Bittar

Rhaissa Bittar está correndo. Amanhã, às 21h, no Sesc Belenzinho (saiba mais aqui), a cantora estreia o show de Matéria Estelar, segundo álbum de sua carreira E a correria não é só porque amanhã é um dia importante: é porque Rhaissa idealizou um espetáculo em que ela canta e atua, dando vida a uma boneca que canta as dores e os amores de seres inanimados, premissa que permeia todas as composições do disco. Uma pera leva um fora de um caju, uma lista telefônica desempregada consegue uma função de peso no Sebo do Messias e até o brinco de pérola da menina retratada na obra-prima do pintor holandês Johannes Vermeer ganha vida nos apólogos.

Para dar conta de levar esta atmosfera fantástica para o palco, Rhaissa não está sozinha. Para a direção musical, ela trouxe Daniel Galli, autor da maioria das canções. O cenário e o figurino são assinados pelo designer Jum Nakao. O show ainda terá as participações de Paulinho Boca de Cantor, Paulo Padilha, Paulo Tatit, o Maestro Spok e o Nailor Proveta. E, há, claro, a banda: Daniel Galli (Violão), Lulinha Alencar (Piano e Acordeon), Lucas Espósito (contrabaixo), Diego Gil (Bateria).

Com exclusividade para o Azoofa, Rhaissa conta de onde surgiu o conceito do álbum, comenta o período em que viveu em Taiwan e diz que pretende levar o show para todos os lugares possíveis. "Quero espalhar poeirinha estelar para todos os lados".

Rhaissa, Matéria Estelar tem uma premissa muito inusitada: todas as músicas tratam de situações que acontecem a seres inanimados. Quando e como te veio essa ideia?

Matéria Estelar é um universo construído por muitos meteoros, estrelas e cometas. O começo de todas estas ideias surgiu junto com a música que abre o disco, "A Lista", composição de Daniel Galli, diretor de criação ao lado de Jum Nakao. A partir dela, pera na fruteira, leque, boneca de madeira e toda esta viagem por apólogos (fábulas, só que com objetos).

O conceito do disco pede uma produção especial de luz, cenário, direção. Como tá sendo esse desafio de levar o disco pro palco?

Estamos a um dia de estrear com o desafio de transformar estes apólogos em um espetáculo. Sob direção de Jum Nakao e Daniel Galli, o show se transformou em um teatro musical, com texto em versos. Fui transformada em boneca, o que me deixou mais próxima dos personagens. O cenário em forma de livro pop up é uma mistura de tecnologia e artesanato em papel, o livro conduzirá todos nós por suas páginas, histórias, objetos, músicas e estrelas.

Antes de gravar seu primeiro disco, Voilà, você passou uma temporada em Taiwan tendo aulas de música. O que você absorveu dessa experiência? Ela tem alguma influência nos caminhos que você tomou em sua carreira musical?

Quando fui morar em Taiwan, para um intercâmbio de colegial, tive a sorte de viver experiências no mundo artístico chinês. Uma das que mais me marcou foi participar de um coral de senhoras taiwanesas. Nós não conseguíamos falar a mesma língua, mas de alguma maneira nos entendíamos e foi com elas que aprendi diversas músicas no dialeto taiwanês. Até hoje não sei bem como medir a influência do outro lado do mundo na minha carreira, mas sei que ela está aqui. Tanto é que mês que vem, nossa turnê Matéria Estelar estará embarcando para China!

O show desta sexta-feira contará com diversas participações especiais: Paulinho Boca de Cantor, Paulo Padilha, Paulo Tatit, o Maestro Spok e o Nailor Proveta. Como rolou a escolha desses artistas e como tem sido os ensaios com eles?

Há quem diga que somos feitos de matéria estelar e Matéria Estelar, o disco, foi criado com profissionais brilhantes em todas as etapas. Tive a honra de ter estas participação especiais nas gravações do disco. Nada melhor do que trazê-los para o palco e apresentar ao vivo nosso universo para as pessoas. Assim como eu, cada artista naquele palco se transforma em um objeto, um personagem, e me ajuda a contar uma história fantástica de terras distantes para a plateia.

O Daniel Galli é autor da maioria das canções do disco e assina o roteiro e a direção do show. Como é a parceria entre vocês?

Daniel Galli é o big bang que deu origem a Matéria Estelar, meu segundo disco, e o passarinho que chocou Voilà, meu primeiro álbum. Como compositor, ele percebeu em mim o gosto pro cantar personagens e começou a compor músicas que contam histórias. Como produtor, elaborou discos conceituais que marcam o início da minha carreira.

Esse é um espetáculo “difícil” de ser montado em lugares com estrutura mais simples, como as casas de shows autorais de São Paulo?

Esta pergunta contém o nosso próximo desafio: transformar limitações técnicas em motivos para um mergulho mais profundo no universo Matéria Estelar. Freguesa que sou de Casa de Francisca, Mundo Pensante, Puxadinho da Praça, Centro Cultural Rio Verde, Serralheria, entre tantos outros pequenos espaços de música autoral em São Paulo, quero espalhar poeirinha estelar para todos os lados e de um jeito muito especial para o público.

Neste show, você une teu lado atriz com o lado cantora. O quão diferente vem sendo a preparação para este espetáculo?

Os ensaios para este show me fizeram lembrar do gostinho bom da minha descoberta do palco durante a adolescência, quando participei de montagens de teatro musical. A construção da cena começou com o roteiro (Daniel Galli), depois com a preparação de ator (Carmela Montanari), em paralelo preparação vocal (Wagner Barbosa) e por fim os ensaios de coreografia (Lydia e Cissa Young). E só então começamos os ensaios musicais e cenográficos. A equipe é grande para fazer nossas histórias brilharem aos olhos do público.

Matéria Estelar evoca um ambiente fantástico e fantasioso. Você teve referências literárias, cinematográficas ou visuais que foram te ajudar a descobrir o que queria fazer neste disco?

São muitas referências ao longo de todo o processo de criação e produção. A mais marcante é o documentário Cosmos do cientista Carl Sagan, onde ele fala: "somos feitos da mesma matéria das estrelas".

*** arte | belisa bagiani
Quem escreveu
Eduardo Lemos

Jornalista, ex-aluno de futuro promissor, ex-músico de gosto duvidoso e ex-meia direita que já fez gol que saiu no jornal.

Comentários
Postagens relacionadas

24/08/2017 Entrevistas

Chá das 4 e 20 Músicas | Maneva

Shows relacionados