Top Azoofa - Instrumentais Brazucas

"Mas cadê o vocalista?"

Essa é uma das perguntas mais comuns ouvidas por bandas instrumentais. Para muitos é difícil assimilar a falta de um cantor quando mostramos algum som do gênero, por mais matador que seja. Além dos desentendidos, há também os puristas de plantão que já começam com aquele famigerado papinho:

“Mas falta a figura do frontman!”

Hoje o nosso Top mostra oito músicas de bandas instrumentais brazucas da cena atual que vão te fazer pensar duas vezes antes de fazer esses tipos de questionamento. E mais, é provável que depois de escutar esses sons sua indagação seja a mesma que a nossa, do Azoofa:

“Pra que vocalista?”

# 8 - "Theme One" (Lamber Vision)

Idealizado inicialmente em 2006 pelo baterista Samuel Fraga, o Lamber Vision começou através de gravações caseiras em São Paulo e, posteriormente, em Berlin, local onde o músico morou durante um tempo e recebeu forte influência das músicas turca e alemã. Voltando ao Brasil, recebeu o apoio de Fernando Catatau e Dustan Gallas (guitarras), que junto de Zé Nigro (baixo) e Astronauta Pinguim (teclados), conceberam um interessante disco de nove faixas, repleto de influências setentistas, melodias orientais e kraut-rock.

# 7 - "...E Você Espera Por Tanto Tempo Que Já Não Lembra Mais o Porquê" (E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante)

Assim como o nome, o som da banda é uma viagem inexplicável. Equilibrando toques minimalistas com arranjos complexos e orgânicos, o grupo acrescenta ao post-rock base pitadas de punk rock e indie dos anos 90. Formado por Lucas Theodoro, Luden Viana, Luccas Villela e Rafael Jonke, já lançou o EP Vazio (2014) e o compacto Medo de Morrer | Medo de Tentar (2016).

# 6 - "Terror em Burzaco" (Camarones Orquestra Guitarrística)

Formada em 2009 no Rio Grande do Norte, a Camarones Orquestra Guitarrística é um quarteto de rock instrumental divertido, segundo os próprios integrantes (Ana Morena, no baixo, Anderson Foca na guitarra, teclado e efeitos, Yves Fernandes, na Bateria e Fausto Alencar, na guitarra). Um dos grupos independentes mais ativos do Brasil, possui uma sonoridade que mistura elementos de rock, ska e surf music.

# 5 - "A Vida Vem em Ondas" (Nomade Orquestra)

Improviso e criação de novas texturas que emergem experiências sensoriais. Esses são os lemas da Nomade Orquestra, formada em 2012 no ABC Paulista por 10 músicos e um VJ, e que passeia entre o funk, o jazz, o dub, o rock, o afrobeat e o hip-hop. Em 2014 lançaram seu primeiro álbum, produzido por Maurício Fleury e Cris Scabello, do Bixiga 70.

# 4 - "Serpente de Bronze" (Mescalines)

O duo Mescalines (composto pelo baterista Mariô Onofre e pelo guitarrista Jack Rubens, também integrante da banda Mustache e Os Apaches) une o blues tradicional com o rock e o jazz cigano, explorando também a música africana, sempre com muita lisergia. Em 2016 lançaram o aguardado disco de estreia, homônimo, contendo oito músicas surpreendentes que soam exatamente como no show dos caras.

# 3 - "Xá" (Chaiss na Mala)

Há dez anos, o Chaiss na Mala transporta uma mala de viagem (que também é um kit de bateria) pelos quatro cantos de São Paulo, apresentando o melhor do jazz contemporâneo em performances livres e improvisadas. Formado por Fábio de Albuquerque (bateria) e Robson Ashtoffen (saxofone), o duo é uma das três partes do projeto Chaiss, que também conta com Chaiss Quinteto e Rob Ashtoffen & Chaiss Blues. Em 2015 saiu o disco Afrodisia.

# 2 - "Macumba Afrocimética" (Macaco Bong)

Talvez o mais aclamado grupo dessa lista, o Macaco Bong já começou a carreira em grande estilo. O debut album, Artista Igual Pardieiro, rendeu ao trio o primeiro lugar dentre os 25 melhores discos nacionais de 2008 pela revista Rolling Stone e abriu caminho para diversas outras bandas de rock instrumental se aventurarem pelo país. Após uma breve pausa, voltaram com tudo para o lançamento do álbum Macumba Afrocimétrica, em 2014. Atualmente é formado por Bruno Kayapy, Daniel Fumega e Daniel Hortides.

# 1 - “Pavão Andaluz” (Bombay Groovy)

Sabe por que a psicodélica Bombay Groovy encabeça a nossa lista de bandas instrumentais brazucas? Simples. Eles lançaram neste mês o clipe da música “Pavão Andaluz” e tiveram a maravilhosa ideia de convidar os vocalistas Pedro Pastoriz (Mustache e os Apaches), Murilo Sá, Wallacy Willians, Otávio Cintra (Hammerhead Blues), Daniel Tessler e o francês Thomas Baignères para NÃO cantarem a segunda faixa do disco Dandy do Dendê. Cansados de responderem a pergunta que introduz o nosso top, os músicos juntaram os cantores em frente ao microfone para que estes esperassem sua hora de entrar na música. Em vão. Músicas não precisam necessariamente de vocalistas. E o clipe dirigido por Rodrigo Enrico deixa isso bem claro.

Quem escreveu
Daniel Branco

 

Comentários
Postagens relacionadas

14/08/2018 Entrevistas

PLAYLIST | Drik Barbosa

09/08/2018 Entrevistas

O artista em processo: Tim Bernardes

24/07/2018 Entrevistas

FALA-SE DE MÚSICA | Fióti

23/07/2018 Entrevistas

PLAYLIST | André Mussalém

Shows relacionados
POPLOAD FESTIVAL 2018
15/11/2018 - 11:00 hs
Memorial da América Latina
R$180 a
R$750
comprar
POPLOAD FESTIVAL 2018
DANI BLACK
16/08/2018 - 21:00 hs
até 14/09/2018 - 21:00 hs
Bona
DANI BLACK
SESC JAZZ 2018
16/08/2018 - 21:00 hs
até 02/09/2018 - 18:30 hs
SESC Pompeia
SESC JAZZ 2018
CLUBE DA ESQUINA 2 - 40 ANOS
31/08/2018 - 21:00 hs
até 02/09/2018 - 18:00 hs
SESC Vila Mariana
CLUBE DA ESQUINA 2 - 40 ANOS
COALA FESTIVAL 2018
01/09/2018 - 11:00 hs
até 02/09/2018 - 11:00 hs
Memorial da América Latina
COALA FESTIVAL 2018