PLAYLIST | Duda Brack

A última playlist de 2017 para o nosso canal no Spotify ficou por conta da artista gaúcha Duda Brack, acompanhada de um ótimo papo com a Fabi Pereira.

PLAYLIST "Vem 2018" por Duda Brack

 

Foto: Phillippe Noguchi 

 

A jovem Duda Brack tem apenas 24 anos mas quando ouvi seu disco de estreia pensei que fosse uma cantora veterana. As inquietações da artista gaucha, que há uns anos mora no Rio de Janeiro, são profundas e quase não combinam com sua pouca idade. Batizado de "É" e lançado há pouco mais de dois anos, o álbum traz oito canções inéditas de compositores contemporâneos como Dani Black (um dos meus preferidos), Posada, César Lacerda e Caio Prado e tem a produção musical do expert Bruno Giorgi.

 

Integrante do projeto musical Iara Ira - ao lado das também ótimas cantoras Júlia Vargas e Juliana Linhares (banda Pietá) - e do recém lançado Primavera nos Dentes - um coletivo formado por Charles Gavin (ex-Titãs), Paulo Rafael (Alceu Valença / Ave Sangria), Felipe Pacheco Ventura (Baleia / Cícero) e Pedro Coelho (Banda Dona Joana / Cássia Eller) - Duda é uma das grandes vozes femininas desta nova geração.

 

Estamos em dezembro, o mês das celebrações (celebramos mesmo quando não há um motivo aparente tipo "o ano de 2017")! Por isso pedi à Duda, uma das artistas que mais escutei este ano, para indicar uma playlist com OITO músicas que não podem faltar na hora da virada afinal todos nós queremos que 2018 seja, no mínimo, mais próspero, né?

 

Antes das indicações musicais, conversei com ela pelo whatsapp (um brinde aos avanços tecnológicos!) e divido este rápido papo com vocês.

 

No mais, desejo que em 2018 tenhamos um Brasil menos conservador, um presidente legítimo e nenhum direito a menos. Feliz ano novo!!!

 

 

FP: Viver de arte no Brasil de 2017 foi...

DB: Resistência. 

FP: Você é uma das jovens (idade) e novas (surgimento) cantoras mais aclamadas deste cenário musical. Quais são suas influências e referências?

DB: Xi, uma penca de coisa!! Vai de Gal anos 70 à Radiohead. Se listar tudo aqui vai ficar comprido, hehe.

FP: O que uma canção precisa ter para entrar em seu repertório?

DB: Já é um "clássico" a analogia à "varinha do Harry Potter" que sempre faço em relação à isso. Assim como no filme, em que a varinha é que escolhe o bruxo, eu sinto que eu preciso ser "escolhida" pela música, sabe? Não basta que eu a queira cantar... 

 

E aí tem algum elemento que determina isso que é da ordem do mistério... claro que existem aspectos que a gente consegue decodificar (o tipo de melodia que me cai bem na voz; os assuntos sobre os quais eu quero discorrer e a forma como os quero dizer; encontrar alguma possibilidade de reflexo disso no corpo; ou já me inspirar à traduzir-me através dela, na construção do arranjo...). mas as vezes, só acontece, e eu não sei bem como ou porquê, e abraço esse fluxo.

FP: Já que o assunto é reveillon, conta pra gente uma passagem de ano inesquecível.

DB: Acho que uma das histórias de reveillon mais bizarras que eu tenho foi "O Resgate na Ilha Grande": depois da virada, eu, numa ressaca braba, dormindo debaixo de uma árvore na beira da praia - porque o alojamento onde eu estava hospedada depois das 10 da manhã virava um forno e ninguém mais conseguia dormir; num perrengue fisico-emocional bem grande, rezando para todos os deuses me tiraram dali...eis que eu avisto a 3 metros de mim a Maria (Gadu) e a Lua (Leça), que tinham ido até Palmas de barco (porque sabiam que eu estava por lá, embora eu estivesse sem celular e a comunicação estivesse inviável), me buscar. Elas me levaram pra um hotel paradisíaco, me alimentaram e curaram minha ressaca com caipirinha de cachaça envelhecida, maracujá e gengibre. Ali eu suspeitei que Deus existe...

FP: Quais são seus planos para 2018?

DB: Tocar bastante. Viajar bastante também (se o dinheiro der!). E estar cada vez mais perto das pessoas que eu gosto. E continuar experimentando coisas novas através da música e da arte em geral...

 

FP: Deixe uma mensagem para seus fãs e nossos leitores.

DB: FORATEMER! .

 

 


 

 

Quem escreveu
Fabiane Pereira

Fabiane Pereira é jornalista, pós-graduada em Jornalismo Cultural pela ESPM e em Formação do Escritor pela PUC-Rio. É mestranda em Comunicação, Cultura e Tecnologia da Informação no Instituto Universitário de Lisboa. É curadora do projeto literário Som & Pausa e toca vários outros projetos pela sua empresa, a Valentina Comunicação. É apresentadora do programa Faro na rádio carioca SulAmérica Paradiso FM (95.7 FM).

Comentários
Postagens relacionadas

14/08/2018 Entrevistas

PLAYLIST | Drik Barbosa

09/08/2018 Entrevistas

O artista em processo: Tim Bernardes

24/07/2018 Entrevistas

FALA-SE DE MÚSICA | Fióti

23/07/2018 Entrevistas

PLAYLIST | André Mussalém

Shows relacionados