PLAYLIST | Thathi

     No próximo dia 28 de agosto, o programa de rádio carioca FARO vai promover uma grande festa para celebrar seus dez anos. Entre as DEZ atrações convidadas, uma baiana: a cantora Thathi.

 

     A cantora, compositora e multi instrumentista Thathi é, sem dúvida, uma nobre representante da nova cena musical da Bahia, este estado que já nos dá régua, compasso e muito axé. Com uma aparente "rebeldia” e uma personalidade marcante, Thathi já soma quase duas décadas de carreira. Circulando entre o cenário independente da música brasileira e passeando com desenvoltura no meio dos grandes nomes da nossa música, Thathi já dividiu o palco com artistas consagrados como Caetano Veloso, Djavan, Nando Reis, Zeca Baleiro e mais recentemente com o Saulo.

 

     O novo trabalho de Thathi, batizado de "Tudo o que já estava escrito", só chegará nas plataformas digitais nos próximos meses mas três faixas deste projeto compõe o EP "Tudo o que já estava escrito sobre o amor" já disponível em todas as plataformas digitais. Com canções mais reflexivas, o EP reflete com muita leveza o momento atual da artista. "Fiz questão de gravar vários instrumentos, para imprimir ainda mais minha personalidade no disco. Toquei violões, guitalele, piano e as guitarras", explica.

 

     “Tudo o que já estava escrito sobre o amor” conecta a artista com sua verdade. As três faixas do EP são “Roda Gigante”, assinada por Thathi e Khalil Gock - nela, Thathi divide o vocal com o cantor baiano Saulo -, “Quero Ser”, outra parceria de Thathi e Khalil Gock e “Mesmo Que Eu Suma”, faixa que traz um arranjo caprichadíssimo de Thathi e J. Veloso.

 

     Já que seu novo trabalho tá cheio de parcerias, pedimos a artista pra indicar OITO músicas pra nossa playlist que fossem duetos. Aproveitei e pedi à ela pra responder algumas perguntinhas. No mais, nos encontramos dia 28 de agosto, na Casa de Cultura Laura Alvim. Ingressos a venda aqui.

Fabi Pereira: Como a música entrou profissionalmente em sua vida?

Thathi: A música sempre fez parte de mim, desde criança, em casa, com meus irmãos. Com 7 anos, fui convidada para fazer parte de uma banda infantil, já de forma profissional. Aos 13, já viajava pelo Brasil com bandas de baile e tocava em bares. Catalogar essas experiências, trouxe uma rica bagagem musical que serviu de alicerce para a construção da minha personalidade artística. A música, desde sempre, foi paixão e profissão!

 

FP: Você tá lançando um EP com três músicas. E ainda este ano pretende lançar um disco. Por que optou por fazer dois lançamentos e não apenas lançar um disco?

Thathi: No nosso mercado atual, estrategicamente, pareceu a melhor opção. Na verdade, optei em fazer três lançamentos: um single, um EP e por fim o disco. Nessa era digital são produzidos, diariamente, uma quantidade enorme de conteúdo, por isso, lançar todo o trabalho de uma vez só, corre o risco da maioria das músicas não serem trabalhadas como merecem. Cada música que a gente escolhe tem um motivo pra fazer parte de um todo. É um álbum feito com muito carinho, com um investimento significativo, acho que essa estratégia traz uma interação maior das músicas com o público e mais possibilidades para as canções.

 

FP: Com quais artistas você já fez dueto em sua carreira?

Thathi: No meu primeiro álbum, meu artista convidado foi um cantor e compositor baiano que admiro muito, Alexandre Leão, que dividiu comigo os vocais da música “Confusa”. Já no EP “Não Sei Se Te Contei”, tive a sorte de ter meu primeiro dueto com um dos meus maiores ídolos, o Herbert Vianna, com uma canção que fiz especialmente para ele, depois de um encontro inusitado que tivemos. Nesse mesmo álbum, além do Herbert, a minha amiga e parceira de algumas composições, a Isabella Taviani. Minha carreira é um grande encontro de almas e a cada dia conheço artistas e pessoas incríveis. Nesse novo álbum, tive a alegria de cantar com Saulo, em "Roda Gigante" e Ana Vilela em “Recomece", poema que musiquei do poeta, cordelista, Bráulio Bessa.
   

FP: Fale um pouco sobre o processo artístico do EP e do disco?

Thathi: O nome do disco é "Tudo Que Já Estava Escrito” e o nome do EP, "Tudo Que Já Estava Escrito - Sobre o Amor”, pois escolhemos três canções que falam de amor para pré anunciar o álbum. O processo artístico dialogou muito com meu momento, as composições são mais reflexivas, falam muito da vida, da esperança e do amor! Tudo com muita leveza. Dessa vez, estive à frente de todo o processo de criação, produção e dividi os arranjos com meu baixista André Luba, que toca comigo desde o início da minha carreira. Meu público vai poder desfrutar uma Thathi mais completa nesse novo trabalho. Estou muito feliz.

       

FP: Um artista que você sonha em fazer dueto e por quê?

Thathi: Caetano Veloso. Ele, pra mim, é uma fonte de inspiração e expiração, suas canções são verdadeiras obras primas e sempre povoaram meus sonhos de menina.

Quem escreveu
Fabiane Pereira

Fabiane Pereira é jornalista, pós-graduada em Jornalismo Cultural pela ESPM e em Formação do Escritor pela PUC-Rio. É mestranda em Comunicação, Cultura e Tecnologia da Informação no Instituto Universitário de Lisboa. É curadora do projeto literário Som & Pausa e toca vários outros projetos pela sua empresa, a Valentina Comunicação. É apresentadora do programa Faro na rádio carioca SulAmérica Paradiso FM (95.7 FM).

Comentários
Postagens relacionadas
Shows relacionados
POPLOAD FESTIVAL 2018
15/11/2018 - 11:00 hs
Memorial da América Latina
R$180 a
R$750
comprar
POPLOAD FESTIVAL 2018
Z FESTIVAL 2018
14/10/2018 - 14:00 hs
Allianz Parque
R$110 a
R$600
comprar
Z FESTIVAL 2018
JOÃO BOSCO
12/10/2018 - 18:00 hs
até 14/10/2018 - 18:00 hs
SESC 24 de Maio
JOÃO BOSCO
KLEITON & KLEDIR
12/10/2018 - 21:30 hs
até 13/10/2018 - 21:30 hs
Tupi or not Tupi
KLEITON & KLEDIR