BINA COQUET

Bina Coquet apresenta sua versão peculiar de Jazz Manouche na Quintemporâneas do Centro Cultural da Música Instrumental, dia 11/01!

A ideia do violonista é unir repertório característico do gênero surgido na França na década de 1930 com a música brasileira. Em suas mãos, o violão de Django Reinhardt pode virar cavaquinho, chorar como o bandolim de Jacob, ou mesmo sussurrar na batida de João Gilberto. Clássicos de Reinhardt e composições autorais completam o repertório.

 

Acompanham o músico: Sebastian Abuter (clarinete), José Fernando (violão) e Nando Vicencio (contrabaixo).

 

Comentários
Sobre a casa
CCMI
Antigo Jazz nos Fundos, o Centro Cultural da Música Instrumental (CCMI) tem como objetivo unir os amantes da música, saiba mais
Postagens relacionadas

11/12/2018 Entrevistas

O artista em processo: Erlend Øye

27/11/2018 Entrevistas

O artista em processo: Letrux

+ CCMI

só gratuitos