O Lollapalooza chegou! Quais bandas assistir? Quais poderiam rolar?

Finalmente chegou! É nesse sábado e domingo a tão esperada terceira edição do festival Lollapalooza no Brasil. O line up está bem eclético, fazendo chover opções. Então resolvemos focar e fazer nossa listinha de prioridades, que segue abaixo:

Johnny Marr veio ao Brasil uma única vez, acompanhando o Pretenders no Holywood Rock de 1988. Agora, sozinho e apresentando o primeiro disco solo (já havia gravado Boomslang, junto com The Healers em 2003), tem a chance de mostrar, além do trabalho novo, o repertório da banda que o consagrou para o mundo há 30 anos, The Smiths. Não perderia nem se ele estivesse com a mão quebrada. E está.

Os canadenses do Arcade Fire também só vieram pra cá uma vez, durante a turnê de Funeral, em 2005. De lá pra cá já foram mais três discos lançados, sempre um melhor que o outro. O último, o duplo Reflektor, conta até com backing vocal de David Bowie na faixa título. É um daqueles shows que não acontecem de novo em menos de 5 anos. *

New Order é um clássico, faz show grande. Digno de banda que mais vendeu single 12’’ na história. Era um pós-punk amarrado ao embrião Joy Division, que com o tempo foi adquirindo identidade e, com influência pesada dos sintetizadores, acabou virando uma banda descaradamente (no bom sentido) eletrônica. Influenciou muita gente que vai tocar no festival, tem que ver. *

Completando 30 anos de fundação (tiveram treze de hiato), o Soundgarden é uma das bandas que encabeçavam a famosa cena de Seattle nos anos 80 e 90. Com diferenças: a versatilidade e o peso. Depois de um tempo separados se dedicando a outros projetos, voltaram, gravaram disco inédito e não têm planos de parar mais. Enfim veremos por aqui Chris Cornell, Kim Thayil, Matt Cameron e Ben Shepherd juntos fazendo o seu melhor, o Soundgarden.

Mesmo sem a fundadora Kim Deal, o Pixies é headliner em qualquer festival do mundo. Os caras já passaram por aqui com a formação original em mais de uma oportunidade, mas é nessa turnê que as músicas do tão aguardado disco de inéditas (depois de vinte e três anos) Indie Cindy, (que será lançado daqui vinte e quatro dias) serão apresentadas ao público brasileiro.

* Os shows rolarão ao mesmo tempo. O que fazer?

Difícil listar bandas que gostaríamos de ver, mas ficaram de fora do line up. Apesar que, pra edição deste ano, bem que uma galera cairia como uma luva para completar o time.

Tom Petty e seus Heartbrakers se encaixariam excelentemente num final de tarde tocando o folk com uma pegada mais atual do seu último disco, Mojo, de 2010. Obviamente clássicos também não ficariam de fora. O músico americano, que tem onze discos nas costas, além de ser um “Traveling Wilbury” (juntamente com Roy Orbison, Bob Dylan, George Harisson e Jeff Lynne), nunca veio ao Brasil.

O estilo de performance de rua e a influência circense do Mustache & Os Apaches combinam perfeitamente com festivais. Os caras são completos. Além de fazerem música de primeira, entretêm o público com improvisos e desempenho artístico de alto nível no palco. Podia rolar.

Os também brazucas do Mescaline Duo fazem uma psicodelia de primeiríssima. E existe coisa melhor do que psicodelia em festival de música? Caberia em diversas horas, como uma válvula de escape da atmosfera “bandas gigantes” que costuma permear esses eventos.

Quer trazer alguém alternativo, que esteja no topo e, de quebra, seja um clássico? Traz o David Bowie! Seria memorável se o show de encerramento do Lollapalooza fosse dele. Uma exposição (em exibição atualmente no MIS) e um show do mestre rolando simultaneamente no Brasil também seria muito interessante.

Uma banda no estilo da Orquesta Brasileira de Música Jamaicana completaria o Lollapalooza. Não há, entre as 50 atrações, nenhuma com essa pegada. Chegar em um festival no clima da OBMJ é começar com o pé direito, com forças pra encarar o resto da jornada pelo resto da noite.

Quem escreveu
Daniel Branco

 

Comentários
Postagens relacionadas

24/05/2019 Geral

LANÇAMENTOS DA SEMANA

16/05/2019 Geral, Listas e coletâneas

HISTÓRIAS DA VIRADA CULTURAL

Shows relacionados
KING CRIMSON
04/10/2019 - 21:30 hs
Espaço das Américas
R$150 a
R$850
comprar
KING CRIMSON
RICHIE RAMONE
21/07/2019 - 18:00 hs
Manifesto
R$160 a
R$80
comprar
RICHIE RAMONE
CAMISA DE VÊNUS
19/07/2019 - 21:00 hs
Teatro Bradesco
R$100 a
R$80
comprar
CAMISA DE VÊNUS
CIDADE NEGRA
13/07/2019 - 22:00 hs
Audio Club
R$30 a
R$80
comprar
CIDADE NEGRA
DIA MUNDIAL DO ROCK 2019
13/07/2019 - 21:30 hs
Espaço das Américas
R$40 a
R$80
comprar
DIA MUNDIAL DO ROCK 2019
LEO JAIME
13/07/2019 - 22:00 hs
Tom Brasil
R$109 a
R$99
comprar
LEO JAIME
RIOCORE ALL STARS
13/07/2019 - 23:00 hs
Jai Club
R$30 a
R$40
comprar
RIOCORE ALL STARS