GRANDES EVENTOS CANCELADOS

18/03/2020

Os maiores festivais que não aconteceram!

Devido à pandemia que se espalha pelo mundo em razão do COVID-19 (Coronavírus), eventos de toda natureza vêm sendo cancelados diariamente. Artistas como Billie Eilish, Pearl Jam, Green Day, Cher, Kiss, The Who, Madonna, Miley Cyrus, Backstreet Boys, Maroon 5, Elton John e Foo Fighters já decidiram adiar ou mesmo desistir de seus próximos compromissos profissionais. A ideia é evitar aglomerações e com isso reduzir a propagação do vírus. Por isso, se aquele show que você tanto esperava não acontecer agora, não se desespere. Tudo tem sua hora. Muitos outros eventos musicais de grande porte já foram cancelados — e por motivos muito menos nobres. Vamos relembrar?

 

 

Lollapalooza (Arte: IPTC/Photo Metadata)

 

 

LOLLAPALOOZA

Concebido em 1991 por Perry Farrell para que sua banda, a Jane's Addiction, pudesse realizar uma turnê de despedida pela América do Norte junto de outros importantes grupos, como Siouxie & The Banshees, Living Colour e Nine Inch Nails, o festival Lollapalooza despontou como um evento de destaque do aclamado rock alternativo daquela época. Nomes consagrados e, posteriormente, revelações do gênero, lotaram diferentes espaços anualmente até 1996, quando seu idealizador se mostrou contrariado com a presença da banda Metallica no line-up. Segundo Farrell, isso violava diretamente o plano original de promover grupos de fora do mainstream — a imagem machista da trupe liderada por James Hetfield também feria os princípios pacíficos do festival. No ano seguinte, nomes de outros gêneros ganharam evidência entre as atrações, como Waylon Jennings e Prodigy, uma vez que o rock se encontrava em declínio na época. Mesmo assim, as vendagens foram pífias. Resultado: a edição de 1998 foi cancelada e o Lollapalooza só voltaria a acontecer, discretamente, em 2003. Em 2004, já itinerante, o festival anunciou antecipadamente shows de Morrissey, Flaming Lips e Sonic Youth para delírio do público. Mas para decepção do mesmo, a festa acabou sendo cancelada novamente devido as vendagens baixas, muito em consequência dos preços abusivos. Outra aguardada edição, a de 2013 em Tel Aviv, Israel (a primeira fora do território americano), também acabou cancelada, para frustração geral.

 

 

Monsters of Rock (Arte: Divulgação)

 

 

MONSTERS OF ROCK

Falando em derrocada do rock na segunda metade da década de 1990 (tanto o alternativo, quanto o clássico), o outrora celebrado festival Monsters of Rock teve uma breve interrupção em 1997 no Brasil, após três anos de relativo sucesso. Gigantes como Whitesnake, Dream Theater, Judas Priest, Manowar e Dio, além dos brasileiros do Angra, estavam entre os confirmados daquela edição que acabou não acontecendo. A banda Kiss, que tinha voltado recentemente a tocar com sua formação original e Van Halen, eram os queridinhos dos patrocinadores. Mas com a altíssima pedida dos mascarados e a falta de tempo do grupo californiano — que na época trabalhava no disco Van Halen III, primeiro (e único) com o ex-vocalista do Extreme, Gary Cherone — minaram ainda mais o interesse da principal investidora, a multi-nacional holandesa Phillips.

 

 

Woodstock (Arte: Divulgação)

 

 

WOODSTOCK

Sempe que se fala em festival, inevitavelmente se lembra do Woodstock. O evento que celebraria os 50 anos da tradicional primeira edição já contava com Jay-Z, The Killers, Chance the Rapper, The Black Keys, John Fogerty, Robert Plant, Miley Cyrus, Common, Janelle Monae, Sturgill Simpson, Brandi Carlile, The Raconteurs e Santana entre as principais atrações anunciadas. A sede seria em Columbia, Maryland, depois de negativas em Vernon, no norte de Nova York, e no autódromo de Watkins Glen — a 230 km do local original, situado em Bethel, no extremo sudoeste do mesmo estado. Mas os organizadores, que aguardavam 150 mil espectadores, desejavam um lugar maior, ideia que causava pânico nos organizadores locais. Pra piorar, depois de dois meses do primeiro anúncio, ainda não havia divulgação adequada, nem ingressos à venda. Somado ao bom e velho probleminha dos altos cachês pedidos pelos artistas, a festa acabou sendo cancelada devido a "contratempos imprevistos". Talvez tenha sido melhor assim. Vale lembrar que as edições posteriores a 1969 do Woodstock não caíram no gosto popular. Apesar do bom line up em 1994, as chuvas torrenciais deixaram o público praticamente nadando em barro. Em 1999, tumultos e casos de violência, incluindo estupros, foram relatados por quem assistia aos shows de Insane Clown Posse, Kid Rock e Limp Bizkit.

 

 

Fyre Festival (Fotos: Divulgação)

 

 

FYRE FESTIVAL

Quando o empresário Billy McFarland falou em realizar um festival de alto padrão de duas semanas com música, luxo, arte e aventura — promovido por celebridades em suas redes sociais e custando a bagatela de até 100 mil dólares por cabeça —, certamente os esbanjadores de plantão imaginaram uma coisa completamente diferente do que encontraram pela frente. Ao contrário do prometido, não havia acomodações de luxo, chefs renomados ou bar women/men criativos, mas sim cabanas simples de segunda mão (compradas das Nações Unidas, usadas anteriormente para abrigar refugiados) para dormir e sanduíches de queijo para comer. Uma chuva "daquelas" ainda piorou o que já estava ruim, deixando os colchões compeltamente encharcados. Com dificuldade para encontrar seus pertences, já que as malas eram jogadas num estacionamento escuro, logo o público começou a promover o caos no lugar. Violência e pânico fizeram com que o Fyre Festival fosse oficialmente cancelado no dia de sua estreia. Nem é preciso citar que as atrações musicais prometidas, como Blink-182 e Major Lazer, sequer fizeram seus shows. Billy McFarland cumpre atualmente uma pena de seis anos de prisão por fraude.

 

 


Metal Open Air (Foto: Honório Moreira/UOL)

 

 

METAL OPEN AIR

O que prometia ser a maior festa de metal das Américas acabou por se tornar o maior fracasso ligado ao gênero no Brasil. Idealizado para ser um tipo de versão brasileira do festival alemão Wacken Open Air, o Metal Open Air foi marcado para acontecer nos dias 20, 21 e 22 de abril de 2012 no Parque da Independência, em São Luís/MA. Megadeth, Anthrax, Saxon, Venom, Blind Guardian, Destruction, Glenn Hughes, Obituary e o supergrupo Rock’N Roll All Stars (formado por por Gene Simmons, Joe Elliott, Matt Sorum, Duff McKagan, Gilby Clarke, Glenn Hughes, Ed Roland, Sebastian Bach, Steve Stevens, Mike Inez, Billy Duffy e Charlie Sheen) comandariam o evento, mas faltou tudo: banheiros, segurança, pontos de vendas de comida e saneamento básico nas instalações de camping. Além de, claro, pagamento para os artistas — que também tiveram problemas com seus vistos, passagens e hospedagens — e fornecedores de som, luz, palco e backstage — que acabaram por decidir desmontar toda a estrutura. 30 das 47 bandas convidadas cancelaram seus shows. Alguns espectadores tiveram que acampar dentro de estábulos, sem energia e com apenas um banheiro químico por perto. Dentre os que tocaram, vale citar a banda Megadeth, cujo vocalista, Dave Mustane, evidenciava no palco toda a sua insatisfação, encerrando a apresentação com uma considerável antecedência. Até polícia baixou no local, tamanho o desgosto do público, que nos "finalmentes" já ensaiava uma rebelião. Anos depois, a Negri Concerts e a Lamparina Filmes e Produções, organizadoras do M.O.A., tiveram que desembolsar grandes quantias em indenizações aos envolvidos.

 

 

 

 

Quem escreveu
Daniel Branco

Daniel Branco é redator e editor de conteúdo musical do site Azoofa. Lá coordenou a série em vídeo Azoofa Apresenta, escreve sobre o novo e o velho da música e entrevista bandas e artistas dos mais variados gêneros. Nomes como Criolo, Marina Lima, Kl Jay, Rincon Sapiência, Black Alien, Planta e Raiz, Kamau, Rashid, Bnegão, Supercombo, Plutão Já Foi Planeta e Francisco, el Hombre já passaram pela sua casa para trocar uma ideia, tomar uma cerveja e ouvir um LP – o que, para fins profissionais, chamávamos de Azoofa Live. Tem sempre uma história sobre um artista, um som, um show ou um disco na manga, mesmo que ninguém tenha perguntado.

Outras matérias e entrevistas